Custo da prestação de serviços: 5 dicas para calcular

como medir custo de serviço prestado

Cálculo do Custo da Prestação de Serviços

 

Os serviços possuem características particulares que podem desencadear dúvidas sobre como geri-los e mensurá-los. Pensando nisso, nesse post falaremos dos desafios da gestão dos serviços, e também do cálculo do custo da prestação de serviços e daremos 5 dicas especiais para você obter sucesso nesta atividade. Acompanhe!

 

Serviços: Vantagens de mensurá-los

 

A gestão de serviços é um grande desafio. Isto porque eles possuem algumas características particulares quando comparados com os produtos, sendo elas a intangibilidade, a inseparabilidade, a variabilidade e a perecibilidade.

Essas características determinam que:

  • Os serviços não são palpáveis;
  • Não se pode separar de maneira clara e concreta a produção e o consumo de um serviço;
  • Eles sofrem variabilidade dependendo de quem o presta e onde;
  • Não podem ser estocados e não possuem prazo de validade, sendo outro desafio saber em que quantidade e quando prestar um serviço.

 

Tais aspectos particulares, no entanto, não representam impossibilidade de planejá-los, controlá-los e monitorá-los, sendo a gestão essencial para garantir qualidade e rentabilidade na prestação de serviços.

Conhecer o custo do serviço prestado é essencial para entender o quanto se está gastando com o seu oferecimento, identificar possibilidades para otimizar a gestão dos recursos empregados na prestação do mesmo, tomar decisões de gestão financeira com dados mais assertivos , bem como evitar prejuízos e aprimorar a rentabilidade da operação.

Para aqueles que prestam contas, à empresa para a qual trabalham, sobre seus gastos no oferecimento de serviços, as noções de custo do serviço prestado são importantes para obter reembolso por aquilo que for pertinente. 

 

Como medir o custo do serviço prestado

 

Medir o custo do serviço prestado tem suas dificuldades, mas não é nenhum bicho de sete cabeças!

A seguir, vamos te dar as principais dicas para começar a calcular o custo do serviço prestado e obter sucesso neste desafio!

 

1 – Conheça as atividades envolvidas na prestação do serviço

 

Essa dica pode parecer óbvia em um primeiro momento, mas a falta de conhecimento acerca dos processos e a desorganização é um forte entrave para empresas de diversos setores.

Para obter um custo de serviço prestado mais próximo da realidade, conheça as atividades envolvidas na prestação do serviço, faça um mapeamento de processos, meça o tempo de cada atividade e identifique os recursos envolvidos na realização delas.

Veja também:  Reembolso de despesas: você está cumprindo a lei?

 

2 – Diferencie os tipos de custos e mensure-os

 

Ao identificar os recursos envolvidos na prestação do serviço, é necessário também mensurá-los.

Por exemplo, uma marca de remédios que trabalha com representantes comerciais que vão até os consultórios médicos, tem como exemplos de custos envolvidos na prestação do serviço a mão de obra do representante (salário + encargos + benefícios) e os gastos com deslocamento até o local (combustível + depreciação do carro). 

Quando o serviço prestado envolve viagens corporativas, é necessário também considerar os custos de viagem como deslocamento, hospedagem e alimentação.

 

Ao identificar os custos envolvidos na prestação de um serviço, observa-se, portanto que alguns podem ser facilmente calculados e alocados ao custo do serviço e que outros, no entanto, são mais desafiadores.

 

Assim, é também necessário conhecer as diferenças entre os tipos de custo. Eles podem ser fixos (um conjunto de custos que não varia de acordo com o volume de serviços prestados) ou variáveis (variam de acordo com o volume de serviços que a empresa realizar).

Além disso, são diretos (isto é, podem ser diretamente apropriados ao serviço) ou indiretos (custos gerais indiretamente associados à prestação do serviço, os quais devem ser incorporados por rateio).

 

3 – Escolha um método de custeio

 

Um método de custeio é o conjunto de critérios que determinam como se alocam os custos de diversos tipos envolvidos na produção de bens, na prestação de serviços e no desenvolvimento de atividades em geral. Dessa forma, observa-se que o custo do serviço é composto por diversos custos associados diretamente ou não à prestação dele.

 

Existem três métodos de custeio bastante difundidos: o custeio por absorção, o custeio variável e o custeio ABC (custeio baseado na atividade). Enquanto o primeiro considera todos os custos – fixos e variáveis – como parte do custo total de um bem ou serviço, o segundo isola os gastos fixos e leva em conta apenas os custos variáveis.

 

O custeio ABC, por sua vez, é feito através do levantamento e da mensuração dos custos de todas as atividades envolvidas na operação, para depois alocá-los a cada bem produzido ou serviço prestado.  Este reduz a necessidade de ratear, isto é, dividir sem critério tão claro, as despesas administrativas e os custos indiretamente associados à prestação do serviço.

Veja também:  Aumentar produtividade na empresa: 5 dicas básicas

 

4 -Defina uma margem de lucro

 

Para que se obtenha lucratividade com os serviços, além dos passos anteriores, é necessário definir uma margem de lucro.

 

A margem de lucro é o percentual do lucro dada a venda de um serviço. Podendo variar bastante, a margem de lucro deve ser coerente com a disposição dos consumidores a pagar por um serviço e com os preços praticados no mercado.

 

5 – Use a tecnologia a seu favor

 

Diversas variáveis influenciam as empresas. Conhecê-las e poder manipulá-las é essencial para estabelecer vantagem competitiva diante aos concorrentes. É este o caso dos custos dos serviços prestados e da margem de lucro estabelecida: variáveis que podem e devem ser gerenciadas.

 

Neste contexto, as ferramentas tecnológicas e aplicativos surgem como importante oportunidade e fonte de vantagens. A tecnologia ajuda a controlar gastos, possibilita diminuir os custos envolvidos em atividades e processos de trabalho, otimizar a gestão financeira do negócio e ganhar tempo para atividades mais relevantes, como também permite melhorar a qualidade do trabalho!

 

Para os prestadores de serviço que realizam viagens corporativas e as empresas que trabalham com esse modelo de negócio, a tecnologia também surge como excelente aliada. É notável que a tecnologia transformou a vida dos viagens corporativos e são relevantes os benefícios dos aplicativos mobiles para a gestão das viagens corporativas.

 

Foi pensando nas oportunidades geradas pela tecnologia e em uma importante etapa da gestão financeira que o VExpenses automatizou a prestação de contas e o reembolso de despesas com viagens, para que esses processos sejam mais rápidos, práticos e confiáveis.

Pensando ainda mais longe,  disponibilizou uma funcionalidade para análises que permitem otimizar a gestão financeira e a tomada de decisões. Conheça todos os benefícios do VExpenses e o teste gratuitamente!

 

Gostou das dicas? Deixe seu feedback nos comentários e continue acompanhando o nosso blog para ler mais conteúdos como este!

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinby feather

Sobre Tiago Bittar

CMO do VExpenses. Sempre antenado nas últimas novidades do mundo do marketing e da tecnologia, sou aficcionado em otimização de processos, sempre buscando ajudar as pessoas a trabalharem com eficiência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *