4 minutos de leitura[GUIA] Como funciona o boleto bancário?

Rápido e democrático, o boleto bancário está entre as opções de pagamento preferidas dos brasileiros. Mas, antes de implantar essa facilidade no seu negócio, é importante saber direitinho como funciona o boleto bancário.

Durante os últimos anos, o sistema financeiro evoluiu consideravelmente, facilitando as formas de pagamentos e transações financeiras das redes bancárias. Apesar disso, o boleto bancário ainda manteve seu posto como o favorito dos brasileiros como opção de pagamento tanto das cobranças recorrentes quanto das compras pontuais.

Uma recente pesquisa divulgada pelo E-commerce Brasil, feita em parceria com o SEBRAE, apontou que cerca de 75% das pessoas que compram online escolhem pagar suas compras através do boleto bancário.

Com o novo sistema de pagamento de boletos em vigor desde dezembro de 2018, a FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos), espera emitir 6,6 bilhões de boletos somente este ano.

A presença massiva desta forma de pagamento indica que, mesmo que não seja seu método de cobrança favorito, ela não pode ser ignorada. Pelo contrário, deve ser otimizada para favorecer as vendas e ajudar no crescimento da empresa.

Contudo, se você não sente confiança na emissão e gestão dessa forma de pagamento, não se preocupe. A seguir, preparamos um guia de como funciona o boleto bancário para esclarecer todas as suas dúvidas e te deixar melhor informado sobre esse método de pagamento. Vamos conferir?

O que é e como funciona o boleto bancário?

Boletos bancários são títulos de cobrança que podem ser emitidos por pessoas jurídicas e, também, por pessoas físicas. Esse meio de pagamentos é uma das formas mais utilizadas dentro das empresas devido à simplicidade e flexibilidade oferecida tanto aos clientes quanto aos próprios empresários.

Como gerar um boleto bancário?

Para a emissão de boletos bancários é necessário possuir uma conta bancária, em uma instituição tradicional ou digital, pois é a

Veja também:  Como otimizar a gestão financeira do seu negócio?
partir da carteira de cobrança desta instituição que os dados serão registrados.

O processo é bem simples: o cobrador insere os dados do pagador e estabelece um prazo de recebimento, que será a data de vencimento do boleto.

Com essas informações registradas, o boleto pode ser gerado com as seguintes informações:

  • Nome do cobrador;
  • Nome do pagador;
  • Valor cobrado;
  • Data de vencimento;
  • Dados da instituição financeira;
  • Código numérico;
  • Código de barras.

O documento pode ser impresso em papel ou enviado em arquivo digital (PDF) para o pagamento em agência bancária, caixa eletrônico ou internet banking.

É uma forma segura de pagamento?

Devido à sua popularidade, a Federação Nacional dos Bancos (Febraban) tem atuado constantemente para deixar essa opção de pagamento cada vez mais segura e prática.

Desde o fim do boleto sem registro e a criação da Nova Plataforma de Cobranças, a segurança no processo tomou uma proporção muito maior.

Isso porque com boletos de cobrança registrados, o banco recebe todas as informações referentes à cobrança gerada. E pode realizar uma conferência de dados mais efetiva, diminuindo o risco de golpes e fraudes.

Além de ter aumentado a confiabilidade no processo, a mudança em como emitir um boleto bancário também elevou a praticidade. Antes, os boletos vencidos só podiam ser quitados no banco emissor, mas agora, com a nova plataforma, eles são aceitos em qualquer instituição financeira e os cálculos de multa e juros são feitos automaticamente.

Quais as vantagens do boleto bancário para o empreendedor?

Uma das principais vantagens está na diminuição do tempo que o dinheiro demora para cair na conta.

Quando uma venda é feita no cartão de crédito o empresário pode demorar até um mês para receber o valor. Já no caso do boleto bancário, uma vez pago o boleto, o dinheiro entra na conta em, no máximo, três dias úteis.

As taxas reduzidas também são levadas em consideração. As instituições financeiras costumam oferecer opções mais em conta, quando comparado com as transações no cartão.

Outra vantagem importantíssima é a democratização da compra e venda. Segundo informações de uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 40% dos brasileiros com mais de 18 anos não tem conta em banco. Ou seja, não possuem acesso a cartões de débito e crédito, podendo apenas utilizar dinheiro ou boleto bancário para pagamentos.

Veja também:  Entenda como a tecnologia pode ajudar sua empresa a controlar os gastos corporativos

Quais as vantagens do boleto bancário para o consumidor?

Para os clientes, a opção de boleto oferece praticidade e segurança na aquisição de serviços e pagamentos de compras. Além disso, algumas das demais vantagens são:

  • Não precisar ter conta em banco para utilizar essa forma de pagamento;
  • Facilidade para fazer o pagamento em qualquer estabelecimento conveniado;
  • Em caso de atraso, multa e juros são calculados automaticamente;
  • Pagamento com boleto bancário é a opção mais segura para clientes que têm medo de informar dados do cartão em compra pela internet;
  • Alguns empreendimentos oferecem desconto para incentivar as vendas no boleto, ao invés de cartões de crédito.

O boleto bancário pode substituir a nota fiscal?

Não. Apesar de estarem relacionados à compra e venda de produtos ou serviços, nota fiscal e boleto bancário são documentos com validade e legalidade distintas.

A Nota Fiscal é um documento fiscal obrigatório para prestadores de serviços, que garante:

  • Valor fiscal de compra e venda;
  • Cálculo adequado de recolhimento de tributos ao Município, Estado e União;
  • Prazo de garantia do que foi comercializado;
  • Prova da forma de pagamento;
  • Função contábil, e de fiscalização pelos órgãos públicos competentes.

Boletos são títulos de cobrança e não servem como documento fiscal. Logo, a compensação de boletos bancários não exclui a necessidade de emitir a nota fiscal correspondente ao que foi vendido.

E pode ser considerado um direito creditório?

Para ser considerado título de crédito, um dos requisitos legais exigidos pelo artigo 887 do Código Civil é a assinatura do devedor.

Como nenhum boleto recebe essa assinatura (física ou digital), não constitui um título de crédito ou direito creditório. Por definição, o boleto é somente uma forma de cobrança bancária.

Entretanto, com o fim das duplicatas, o Boleto Bancário vem, atualmente, sendo usado como substitutivo. Mas para ter validade legal é necessário vir acompanhado de documentos que dão lastro ao crédito:

  • Instrumento de protesto;
  • Nota fiscal;
  • Comprovantes de entrega da mercadoria ou da prestação de serviço.

Oferecer a opção de pagamento via boleto bancário tem sido muito vantajoso tanto para quem vende quanto para quem compra. Por isso, se você é empreendedor e deseja aumentar suas vendas, não o ignore!

Se ainda ficou alguma sobre como funciona o boleto bancário, deixe seu comentário aqui nesta página que vamos ajudá-lo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *