planejamento estratégico

4 minutos de leituraComo criar uma cultura de planejamento estratégico

Muita gente tem dúvidas sobre o planejamento estratégico, especialmente sobre quais passos e etapas seguir. Antes de planejar, porém, é importante entender que toda a empresa pode estar incluída nesse processo.

É normal que se tenha uma mentalidade mais operacional: fazer e entregar resultados sem pensar no impacto das próprias ações no negócio. O que se deve levar em conta, porém, é que a sua empresa é um organismo vivo: ela se movimenta junto com os colaboradores e tomadores de decisão.

Por isso, é interessante criar uma cultura do planejamento e envolver todos os setores do seu negócio. Mas, isso não significa deixar o operacional de lado. O simples ato de parar e observar já ajuda a direcionar sua equipe a permanecer conectada com os objetivos da empresa.

Quer entender como a cultura do planejamento pode impactar positivamente na sua empresa? Confira a seguir.

Criando uma cultura de planejamento estratégico

Quando se trata de cultura de planejamento em pequenas e médias empresas, geralmente nos deparamos com duas realidades:

  1. A primeira nos mostra que as pessoas sabem da importância do planejamento, tem interesse em mudar a situação, mas na prática não se planejam e vivem com a sensação de andar às cegas (o que costuma refletir na vida pessoal, também).
  2. Já na segunda realidade, a atenção está totalmente voltada para o operacional. As pessoas estão focadas em apenas fazer e entregar, e a importância dada a isso é tão grande, que o tempo para o planejamento se torna nulo e não é prioridade na empresa.

Se identificou? Para alterar essas realidades o ideal é provocar uma mudança de mentalidade e comportamento para uma cultura de planejamento que envolva toda a equipe.

O foco nas operações é de fato necessário, mas até que ponto a falta de planejamento financeiro e estratégico pode impactar o negócio?

Imagine, por exemplo, uma pessoa que cuida das contas a pagar e a receber de uma empresa diariamente. Ela garante que todas as movimentações serão registradas no controle financeiro, todas as cobranças serão enviadas e as notas fiscais emitidas e entregues.

Com o passar do tempo, essas atividades acabam se tornando tão rotineiras e automáticas que a atenção fica em apenas executá-las sem falhas. Com medo de colocar a produtividade em risco, nem o próprio gestor daquela operação realiza uma pausa para analisar e buscar formas de melhorar os resultados em conjunto com o time.

Veja também:  Gestão de produtividade: Como eliminar falhas de gestão que afetam a produtividade

O ato de planejar permite que você tenha uma visão mais realista da empresa como um todo, analise as oportunidades de melhorias, e também pode proporcionar um maior alinhamento de ideias e expectativas de todos os envolvidos.

O que não significa deixar o operacional de lado. Algumas vezes, o simples ato de parar e observar já ajuda a direcionar a criatividade e ações de todos os colaboradores para permanecerem conectados com os objetivos da empresa.

Que tal fazer as pessoas se questionarem sobre suas atividades, saírem da inércia e reconhecerem para onde estão indo? De verdade, o planejamento flui naturalmente quando todos entram em movimento junto com você.

Não existe fórmula mágica, o importante é começar! Defina que a empresa não terá uma postura apenas reativa frente às diferentes situações, mas também assumirá uma postura analista sobre os números e tudo o que eles representam, planejando ações mais certeiras.

Planejamento Estratégico

Um dos elementos mais importantes para que o processo da cultura do planejamento estratégico se inicie é a definição de metas. Antes de mais nada, o ideal é que elas sejam previstas para daqui um ano.

Uma vez definido o objetivo estratégico final, é possível dividi-lo em partes. Esse processo é chamado de planejamento tático, que traz como resultados os objetivos táticos, ou seja, cada um dos passos que te fazem chegar ao objetivo estratégico. É agora que o estrategista dentro de você precisa desabrochar: observe a estrutura de gastos e ganhos da sua empresa e defina quais os possíveis caminhos para atingir as metas definidas no passo anterior.

Os objetivos táticos podem ser orientados e divididos entre as áreas e departamentos da empresa. Em geral, eles podem ser organizados para serem cumpridos em prazos médios, ou seja, de 3 a 6 meses.

Por exemplo:

– Faturar R$ 5.000,00 em vendas de uma ferramenta específica em 1 mês

– Aumentar em 50% o número de acessos no site em 16 semanas.

Mesmo que esses objetivos táticos já sejam uma fragmentação do objetivo estratégico, eles podem ser divididos, mais uma vez, em ações que podem ser tomadas a curto prazo.

Veja também:  Aumentar produtividade na empresa: 5 dicas básicas

Exemplos:

– Investir até R$ 10.000,00 com um desenvolvedor auxiliar a criação de um app.

– Investir até R$ 5.000,00 em campanhas no Facebook para aumentar o número de visitas no site.

A vantagem deste planejamento operacional é que, por ter ciclos menores, conseguimos acompanhá-los com mais eficiência. Assim, somo capazes de ajustar os planos sem que os objetivos maiores sejam impactados.

Definição de orçamento

Para que o planejamento seja eficiente, é fundamental converter esses objetivos em números. Para isso, monte um orçamento anual, com estimativas de valores o mais realistas possíveis.

Faça o controle financeiro e analise o histórico de gastos e de ganhos da empresa. Desta forma, fica mais fácil definir o orçamento.

Ainda não tem esse hábito? Essa é uma ótima oportunidade para começar!

Estime o quanto você irá receber e o quanto você vai gastar. É possível pensar num gasto maior do que a receita, desde que esse objetivo seja consciente desde o início. Pode ser uma oportunidade de investir visando um retorno em um futuro próximo.

Por isso, é superimportante que você faça a análise do controle financeiro. Observe bem o seu histórico e os rumos do mercado, e certamente você irá construir um orçamento coerente com a realidade.

A cultura do planejamento estratégico no dia a dia

De nada adianta se, no fim das contas, o planejamento ficar apenas no plano das ideias e não existir um acompanhamento da evolução do que está sendo executado. 

Por isso, a cultura do planejamento precisa ser implementada na empresa. Desta forma, a estratégia é vista como algo vivo e dinâmico

Uma dica é criar um grande cartaz com as metas e objetivos estratégicos, táticos e operacionais daquele ano, semestre ou mês. Fixá-lo na parede, à vista de todos, incentiva o cuidado e o comprometimento com a gestão financeira.

Utilizar post-its, por exemplo, ajuda a criar essa ideia do planejamento vivo e dinâmico, pois fica mais fácil acrescentar uma ideia nova ou descartar outra que não tenha funcionado.

Um time entrelaçado e ciente dos rumos da empresa é a receita certa para alcançar os resultados desejados

Sobre o autor:

Esse texto foi escrito por Gabriel Bonato, especialista em marketing digital na Granatum Controle Financeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *