estratégia competitiva

5 minutos de leituraEstratégia competitiva: como turbinar sua empresa utilizando análise de dados

Você já deve, alguma vez, ter tentado encontrar o pote de ouro no fim do arco-íris. No mundo corporativo, uma estratégia competitiva bem planejada é capaz de mostrar a localização exata deste tesouro, traduzido no sucesso da sua empresa. A otimização do planejamento estratégico tem o potencial de alavancar seus resultados e colocar sua marca entre as referências do mercado. Uma das maneiras de começar é muito simples: análise de dados!

A análise de dados, tanto a tradicional quanto as mais inovadoras, propicia respostas que te permitem reduzir custos, economizar tempo, desenvolver novos produtos, otimizar ofertas, e ainda tomar decisões estratégicas mais inteligentes.

Neste post explicaremos como você pode utilizar a análise de dados como uma aliada no caminho para o sucesso.

O que é estratégia competitiva?

Entende-se como estratégia competitiva o planejamento de uma empresa para ganhar vantagem sustentável frente a seus concorrentes no mercado.

Consideramos, aqui, o termo “sustentável” para delinear vantagens que possam ser perpetuadas durante um longo período. As estratégias devem ter como pilar o valor que a marca cria para os clientes acima dos custos de produção ou outros custos implícitos.

Um erro comum ao se fazer uma estratégia competitiva é se basear apenas em experiências anteriores. Um bom plano de ação deve focar em perspectivas futuras e estar voltado para onde a sua empresa deseja chegar, como deseja chegar e o que necessitará fazer para chegar.

É onde entra o papel do planejamento estratégico, com o objetivo de te guiar na tomada de decisão, antecipando mudanças e tendências do mercado, além de criar uma atuação prévia às situações adversas de mercado, o que capacita sua empresa a enfrentar os desafios propostos.

Como posso elaborar um planejamento estratégico de sucesso?

Através da análise de dados! 👨‍💻

Apesar de não ser aconselhável pautar sua estratégia competitiva apenas em experiências passadas, a observação destas não deve ser de todo descartada.

É por meio da análise de dados históricos da sua empresa que conseguiremos corrigir os erros que atrapalharam o sucesso da empresa, e assim, prospectar novos e melhores resultados.

O processo da análise nada mais é do que dar ordem, estrutura e significado aos dados coletados, transformando números em informação e solução de problemas.

Como guiar uma análise de dados tradicional

O processo todo se guia por três pilares: exploração dos dados, gerar hipóteses e testar as hipóteses.

Veja também:  Como guiar uma auditoria financeira de reembolso de despesas

Na fase da exploração, você deve sondar os dados sem viés, apenas para conferir o que é possível perceber com eles. Analisar como eles são fornecidos e estão organizados, as possibilidade e ferramentas que podem te ajudar, tentar enxergar como eles se conectarão. Essa é a fase mais estratégica da análise de dados.

Na fase da geração de hipóteses, você utilizará o conhecimento adquirido para inferir sobre prováveis causas de problemas encontrados na etapa anterior. Vamos supor que você tenha um problema que sua equipe de vendas tem uma baixa taxa de conversão de clientes. A ideia aqui é analisar os dados que você possui, tentar conectá-los e explorar possíveis causas. Essas possíveis causas se tornarão suas hipóteses a serem testadas.

Hipóteses são importantes para te direcionar para a resolução do problema. Faz parte da análise de dados a criação de hipóteses para teste. Assim, aumentam as chances de você encontrar a verdadeira causa do problema.

Já na fase de teste de hipóteses, você deve utilizar toda sua análise anterior para verificar quais hipóteses tem maior significância para o problema, sem ignorar dados que possam falseá-las.

É preciso manter a cabeça aberta para a possibilidade de que sua hipótese esteja errada. Encontrar um método para descobrir quais hipóteses tem maior chance de serem mais significantes é o grande desafio aqui.

Além de seguir esses três pilares, você deve, ainda, definir o foco da análise e mantê-lo sempre claro na sua cabeça. Se possível, vá além, crie métodos para manter o foco de sua análise.

Uma boa prática é fazer várias perguntas aos dados como, por exemplo, frequência, impacto e sintomas associados ao problema em foco. A análise indicará quais desses questionamentos serão ou não relevantes para o objetivo da investigação.

Também é importante não limitar a investigação a apenas uma hipótese ou pergunta, pois poderá deixar dúvidas quanto a interferência da condução da análise.

As conclusões da sua análise de dados serão suas guias na delimitação das ações da sua estratégia competitiva.

Para além da análise tradicional

Como o objetivo da estratégia competitiva é proporcionar vantagem à sua empresa sobre os concorrentes, é mais do que recomendável o uso de ferramentas inovadoras.

E quando se fala de planejamento estratégico e análise de dados, nada é mais inovador do que o uso de Big Data!

Big Data é um termo usado para descrever o grande volume de informações que atinge as empresas hoje em dia. Esse conjunto de informações tem seu pilar fundamentado nos chamados 5 V’s: Volume, Velocidade, Variedade, Veracidade e Valor.

Veja também:  Transformação digital: benefícios, tendências globais e implantação
estratégia competitiva

O volume diz respeito à coleta de informação de fontes variadas, como de transações financeiras, mídias sociais ou dados transmitidos de máquina para máquina.

Essas informações são transmitidas em uma Velocidade excepcional e necessitam ser trabalhadas em tempo hábil, ou seja, tempo real. É importante buscar a melhor estrutura para obter os dados rapidamente e obter as análises estratégicas ainda mais rápido, facilitando alterações ao longo do curso da sua estratégia competitiva.

O pilar da Variedade garante que os dados sejam coletados em inúmeros formatos, sendo estes estruturados ou não. Além disso, esse pilar garante uma maior riqueza de informações conectáveis.

As informações coletadas também precisam ser verídicas, ou seja, necessitam condizer com a realidade. Neste quesito o pilar da Velocidade se encontra com o da Veracidade, pois informações que não condizem ao momento, não são consideradas verídicas.

Por fim, o “último V” diz respeito ao Valor que a coleta de dados trará para o seu negócio.

Quando inteligência analítica é combinada às informações extraídas do Big Data, algumas táticas corporativas podem ser realizadas, como:

  • Determinar causa de falhas, problemas e defeitos quase em tempo real;
  • Recalcular carteiras de risco completas em minutos;
  • Determinar preventivamente comportamentos fraudulentos, evitando prejuízos.

A aplicação dos modelos preditivos do Big Data oferece valiosos insights para desenvolvimento de novos produtos, uma vez que possibilita o entendimento de anseios dos clientes que nem eles mesmos conseguem verbalizar.

Empresas de grande prestígio, como Netflix e Spotify, aplicam Big Data neste sentido, ou seja, para oferecer serviços que realizam os desejos dos clientes antes mesmo que eles solicitem.

Para utilizar as informações deste conjunto de dados, porém, é necessário o uso de ferramentas específicas, que permitam a manipulação de dados não estruturados e em alta velocidade.

Ainda assim, o investimento vale a pena, pois a utilização de ferramentas como essas, em cima das informações corretas, com certeza é capaz de presentear sua empresa com um enorme diferencial competitivo.

Em outras palavras, no médio e longo prazo, o retorno sobre essa mudança estrutural e cultural ao implantar sistemas e estruturas de Big Data tende a ser muito alto!

 Pense o quanto de valor sua estratégia competitiva conseguiria agregar à sua marca utilizando ferramentas de Big Data.

Soa como o próprio pote de ouro no final do arco-íris, não é mesmo?

Agora que já conseguimos te proporcionar uma direção a seguir, é hora de colocar as mãos na massa e começar a planejar uma estratégia competitiva de sucesso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *